MANIFESTO



A Vida Humana é inviolável (Art. 24. da Constituição Portuguesa). Desde o momento da concepção até à morte natural, a Vida Humana tem sempre dignidade, cabendo ao Estado e à Sociedade, assegurar a sua protecção.

Com indignação tomámos conhecimento da entrada na Assembleia da República de uma petição que pede a legalização do homicídio a pedido, vulgarmente conhecido como eutanásia, e do suicídio assistido. Indignados porque a legalização do homicídio a pedido e do suicídio assistido é um enorme retrocesso civilizacional.

Indignados porque o Estado passaria a ter o poder de decidir que Vidas tinham dignidade.

Indignados porque obrigaria os profissionais de saúde a violar a sua Deontologia profissional, fazendo o contrário daquilo que é a sua missão.

Indignados, por todos aqueles que hoje em Portugal sofrem, e a quem seria dito, que a sua Vida não tem dignidade.

Indignados porque os momentos mais frágeis da vida (embrião e idoso/doente terminal) seriam votados ao abandono.

Por isso no dia 14 de Maio Caminhamos Sempre Pela Vida!

Caminhamos para testemunhar publicamente que a Vida Humana tem sempre valor, qualquer que seja a sua condição e circunstância.

Caminhamos para testemunhar que o sofrimento e a dor não diminuem a dignidade da Vida Humana.

Caminhamos para testemunhar publicamente, incluindo perante os que têm responsabilidade política, que existe um Povo que exige da Lei respeito pela Vida Humana.

Assim desafiamos todos os que acreditam que a Vida Humana é um Bem que vale a pena defender, a caminhar no dia 14 de Maio às 15h desde a Praça Luís de Camões (ao Chiado) até à Assembleia da República. Juntos seremos muitos, Sempre Pela Vida!



Lisboa,4 de Maio de 2016